sábado, 21 de julho de 2012

Eu era muito teimosa...


“Se o ouvirem e o servirem acabarão os seu anos em delícias e os seus dias em felicidade” (Jó 36.11).

Nunca me esqueço assim que cheguei na Igreja, eu era muuuito teimosa, achava que Deus poderia se adaptar as minhas vontades e não EU. Mas, eu tinha que fazer a dEle para poder ser feliz como hoje sou.

Me lembro no início da minha fé, que namorava um rapaz que não tinha o mesmo objetivo que eu. Havia uma obreira que eu gostava muito de conversar comigo, tirar minhas dúvidas, ela me falava que aquele namoro não era da vontade de Deus, que Ele prepararia uma pessoa muito melhor pra mim, um homem de Deus... Enfim, ela sempre me alertava quanto aos perigos em que eu estaria colocando a minha fé.

Um dia... Graças a Deus ele terminou, percebi que ele não entendia o meu Primeiro amor, o verdadeiro amor que eu acabara de encontrar, o meu Salvador! Na hora, eu não entendi, chorei quase a noite toda, até que Deus usou uma pessoa pra me lembrar daquele versículo que diz que “o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pelo amanhecer”.

No dia seguinte, fui pra Igreja (ainda um pouco triste – por teimosia), e aquela noite.... Ah que noite!  Chorei como nunca havia chorado, mas foi um choro diferente, uma alegria que invadiu a minha alma, como se Deus lavasse o meu coração e, removesse tudo de velho que havia em mim: sentimento, tristeza, solidão.

Voltei pra casa diferente, feliz! não precisava mais de nada pra me preencher, o que eu havia recebido naquela noite me fortaleceu pra recomeçar uma nova vida.

Dois anos depois... Deus, agora pela minha obediência, me presenteou de uma maneira toda especial, que eu não esperava. Mas foi totalmente diferente dessa vez : aprendi a depender dEle, ouvir a Sua voz, ver se estava realmente de acordo com a Sua vontade, e depois de analisar todos os requisitos... Ele me abençoou! E o que Ele faz dura para sempre. Em 2.003 me casei com um homem de Deus, com os mesmos objetivos, e cada dia é melhor...



Aprendi ser obediente pelo que sofri, e hoje procuramos “alertar” aquelas que passam pela mesma situação. Quando deixei de ser desobediente e querer fazer as coisas do meu jeito, tudo me foi acrescentado, naturalmente, até o que eu não esperava.

Que palavra forte: OBEDIÊNCIA !



Ligia Machado - Jamaica