terça-feira, 17 de julho de 2012

Obedecer funciona! Sou prova disso


Gostaria de compartilhar algo que passei quando namorava. Meu namorado e eu começamos a namorar ainda muito jovens, ambos com 16 anos. Naquela época ele já era pastor auxiliar, e depois de orarmos e, já temos começado nosso namoro, "terminamos". Deixa-me explicar...devido a idade, o pastor estadual na época nos chamou para conversar, e perguntou se estávamos dispostos a esperar, somente iriámos conversar por telefone. Claro, que dissemos que sim, ele nos explicou que estava zelando por nós, que não queria que tivéssemos problemas por namorar um "longo" tempo, e por isso esta "separação" iria nos ajudar.

Assim, como ele havia ido na minha casa falar com os meus pais, pedindo autorização para o nosso namoro, ele também deveria voltar lá e, falar para eles que não estaríamos mais namorando, mas que ele deveria dizer que voltaria para nos casarmos... Imaginem como foi... Mas assim, ele fez. Me lembro, que depois de falar com meus pais, fui acompanhá-lo até a frente de casa, e ele passou a mão no meu cabelo. Imediatamente, falei para ele não fazer isso, pois não namorávamos mais e, podíamos apenas conversar.

Ele aceitou sem perguntar, mas confesso que foi muito difícil para mim naquele dia. O total que ficamos sem nos vermos e estar juntos, foram de 2 anos. Mas quero enfatizar, uma situação que aconteceu dentro deste período. Às vezes ele não tinha como me ligar, (na época ainda não tínhamos celulares..rsrs), e ficávamos até 3 meses sem saber notícia um do outro, somente crendo em Deus e na palavra um do outro. Uma certa vez, ele me ligou depois de 2 meses, vocês podem imaginar o quanto eu ficava feliz em ouvir o telefone tocar e, ao atender poder ouvir a voz do meu amado.

Mas sempre conversávamos sobre como ele e eu estávamos, como estava a igreja, o povo, os propósitos, etc. Neste dia falamos 2 horas no telefone, a primeira hora ele estava bem carinhoso, compartilhou sobre o que estava fazendo, etc. Na segunda hora a conversa mudou totalmente de "tom", ele me disse que não tinha certeza se realmente queria continuar orando comigo, que as namoradas dos "amigos" dele, estavam dando problema e, que ele realmente não sabia se queria continuar. Na hora, eu não pensei duas vezes, fiquei triste, claro, mas não transpareci, disse à ele que ele deveria tomar uma decisão, se o fato das outras namoradas, estarem fazendo coisas erradas estavam "abalando" o que ele sentia por mim, e seus objetivos, que então, ele fosse sincero primeiramente com Deus, comigo e, que procurasse ajuda com o estadual. Ele me disse que faria isso.

Eu pedi à ele, que no outro dia me ligasse e desse uma resposta. Após a ligação, eu não sabia nem o que pensar, somente orei e pedi que Deus desse a direção, mas que não prevalecesse a minha vontade e sim a dEle! Agora você deve estar pensando que ele ligou no outro dia, e resolvemos a situação, certo? Não! Ele não me ligou! Passaram-se 1 mês, 2 meses e nada! Nunca fui de procurar meu pastor para conversar. Mas em um domingo pela manhã, quando estava as vésperas dos 3 meses de silêncio, fui procurar meu pastor e pedi que ele me atendesse. Estávamos próximo da livraria da igreja, e o pastor por me conhecer, somente me disse: Fala, Gabi! Eu olhei séria, e disse: pastor eu quero um atendimento. Quando lembro do jeito que o pastor me olhou, até sinto vontade de rir... Pelo fato de eu nunca tê-lo procurado. Com certeza na cabeça dele, achou que fosse uma "desgraça".

Na mesma hora ele me atendeu. Falei tudo que havia acontecido, sobre a nossa última ligação. Meu pastor já sabia de toda nossa história. E a pergunta que eu fiz à ele foi essa: Pastor eu devo ligar para ele ou não? E acrescentei: Pastor, eu espero todos os dias da minha vida pela volta do Senhor Jesus, porque eu sei que eu vou morar com Ele. Eu posso esperar o tempo que for para casar, mas ele tem que ter certeza do que quer, caso contrário eu não vou esperá-lo. O pastor me respondeu: minha filha, não ligue para ele, você deve se valorizar, nunca se esqueça, se ele não quiser mais ter um compromisso com você, quem estará perdendo será ele e não você. Porque você vai somar na vida dele e ele estará rejeitando este tesouro.

Obedeci ao pastor, cri nas palavras dele, que para mim vieram do próprio Deus. Eu queria solucionar de uma vez a situação, mas não estava pensando no meu valor. E ai que entra o ponto principal, o motivo de estar colocando esta história aqui. Eu poderia ter ido atrás dele, mas obedeci a primeira ordem que me foi dada. Poderia ter ligado, mas não estaria me valorizando. E poderia ter agido pela força do meu braço, e estar chorando até hoje por atitude emotiva.
Amiga, valorize-se, invista em você, na sua vida com Deus. Se Deus está no controle da situação, tudo vai acabar dando certo, pode não ser da sua maneira, mas se for da maneira de Deus será o melhor. Na hora que as lutas aparecem, tudo fica mais difícil, até as coisas fáceis e, é ai que entra sua base Forte, sua dependência em Deus. Aprenda uma coisa, se você não se valorizar, ninguém nunca irá!

Vocês devem estar se perguntando, o que aconteceu depois disso, não é? Rsrs... Ele me ligou no outro dia! Como se nada tivesse acontecido á meses atrás. E eu, tinha duas opções: deixar passar, pelo sentimento. Ou ter uma conversa muito séria a respeito, afinal eu não estava brincando, estava olhando para o meu futuro. Sem medo de errar, falei tudo que queria, eu acho que está foi a ligação da minha vida sem nenhum, mas nenhum pingo de sentimento. E passei a ser ainda mais assim, depois disso. Resultado, muitas lutas vieram e ainda vem, mas eu sei Quem luta por mim! E quanto minha vida sentimental? Estamos casados há 8 anos. Se eu tivesse ouvido a voz do coração, com certeza não estaria aqui, com um casamento abençoado, feliz e fazendo o que eu amo, a obra de Deus.

Gabriela de Oliveira
USA