quinta-feira, 26 de julho de 2012

Eu não aceitava o NÃO de Deus, eu queria o SIM!


Quero poder compartilhar minha experiência, e através dela ajudar alguém e, ela começa assim...

Me converti as 13 anos, fui levantada a obreira aos 14 anos, desde então nasceu em mim o desejo de fazer a obra de Deus no altar, via as esposas de pastores e admirava o belíssimo trabalho no qual eu também sonhava em fazer parte. Sempre dizia a Deus: "Meu Deus a minha vida pertence ao Senhor, faz o que o senhor quiser e eu vou te obedecer em tudo".

Passou-se os anos e o desejo crescia e ardia dentro de mim até que com 19 anos conheci um pastor e, então começamos a orar, pra mim era um sonho que estava se realizando, isso para mim era muito importante, dei tanta importância a isso que agarrei essa benção com todas as forças e, sempre falando com Deus: Oh Deus! faça a tua vontade, fala comigo e eu vou te obedecer em tudo.

Com 4 meses o regional nos orientou a terminar, pois éramos da mesma idade, foi um choque pra mim, nunca imaginei! Eu sonhava em me casar com o primeiro!

Mas mesmo com a direção decidimos continuar na fé, comprometidos um com outro, a voz do sentimento foi mais alta, continuávamos a conversar como se nada tivesse acontecido, e sempre falando com Deus e, pedido para nos mostrar se era ou não, a sua vontade, se esse era o que Ele tinha escolhido para mim.

O tempo foi passando e continuávamos com a idéia de que Deus iria tocar no bispo e faze-lo mudar de idéia a nosso respeito, mas o tempo passava e nada acontecia até que mudou o regional. Lembro de uma oração sincera que fiz a Deus, e falei que eu não queria errar que Deus me mostrasse, fizesse alguma coisa se isso não agradasse à Ele. No outro dia o regional me chamou  para uma entrevista, contei a ele o meu caso, ele me aconselhou, disse que eu não estava obedecendo a direção, pois o altar só funcionar com obediência e, que eu não estava pronta para o altar.

Na hora fiquei abalada!!! como pode ele dizer isso? ele não me entendeu! esse sempre foi o meu sonho, pensei.

Continuei a lutar contra a vontade de Deus, fazia inúmeros propósitos para Deus nos mostrar a resposta certa, não sabendo eu, ou melhor, não querendo enxergar que Deus já tinha mostrado, mas a sua vontade contrariava a minha, Deus respondia a todos os propósitos, mas eu não aceitava, o NÃO, eu queria o SIM, eu pensava: Meu Deus! ele e eu temos os mesmos planos! os mesmos objetivos! como pode não ser de Deus?

Eu não aceitava, eu não queria negar o sentimento, embora não confessasse, mas era de
fato o que acontecia. Passou-se um ano, mudou o bispo veio a fogueira santa pela vida sentimental, fizemos, e pedimos o sim de Deus. Até que o regional dele pediu a nossa ficha para levar ao bispo, foi uma alegria, meu Deus, até que fim!

Eu decidi, vamos acabar com isso! era a última chance eu estava decidida, o que o bispo falasse era o que iriamos fazer. O bispo orientou, esqueça! o coração como sempre não quis aceitar, mas eu estava decidida, fui forte e disse não, não vou mais insistir nisso, acabou, não quero mais. Me veio muitos pensamentos contrários, mas não deixei me dominar. Dessa vez o coração não iria decidir por mim, foi muito duro, chorei, sofri, pois de fato o amava muito, mas entendi que eu era Abraão e ele era Isaque que eu tinha que colocar no altar, mas ao contrário de Abraão, eu neguei e ouvi o sentimento, fui vítima do coração por várias vezes... as vezes, me vinha as lembranças mas eu não queria essas lembranças pois foi um ano lutando contra a vontade de Deus.

Agora eu entendo que para quem deseja servir e agradar a Deus, devemos obediência em tudo, pois Deus é Pai, e todo pai sabe o que é bom para o filho, aprendi a não ser guiada pelo coração.
Espero ter ajudado, muitas amigas com a minha experiência.

Deus abençoe,

Joelma Bastos