segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Pés que se apressam a correr para o mal

Eu sempre gostei muito de atender as pessoas, a paciência se desenvolveu como fruto do Espírito Santo em mim quando comecei a cuidar de uma jovem, à alguns anos atrás quando ainda estava como obreira.

Todas as vezes que ela ia pra IURD manifestava com demônios, em uma dessas vezes o diabo me disse que eu perdia meu tempo, que enquanto eu andava com Deus, ela andava com ele. Mas essas palavras não me intimidaram, e eu perseverei muito por ela.
Infelizmente ela não fez o mesmo. Quanto mais eu jejuava e orava, sentava, ensinava, mas ela se ia. Por vezes sumia da IURD sem me dar notícias, quando voltava estava sete vezes pior, eu ficava triste por que sabia que sua alma chorava por dentro, e muito, mas eu não desistia. Ela chegou a ficar bem, nessa época seu semblante mudou, lembro-me de como suas palavras eram diferentes e sua alma sorria. Mas foi por pouco tempo.

Ela decidiu correr para o mal, se envolver com o mundo e com tudo que ele oferece, isso tudo trouxe sérias conseqüências, e ainda que ela dissesse querer algo com Deus, e eu acreditar nela, e me esforçar sempre pra ajudá-la, seus pés sempre mostravam o contrário.

A obediência não encontrava espaço nela, nem tampouco a paz que Deus queria lhe dar.
Suas atitudes eram opostas ao que dizia, seu estado tornou-se muito pior do que o primeiro, aquela menina se tornou uma jovem sofrida, sofrimento na alma, sabe.
Recentemente tive notícias, depois de tanto tempo, ela mesma me ligou, confesso que não quis atender, mas o Espírito Santo me obrigou, e eu mesma retornei a ligação, sua voz estava trêmula, ela estava desesperada, angustiada, longe, tão distante de Deus, ela dizia não saber o porquê me ligara, eu me compadeci, eu não o Espírito Santo, porque de mim mesmo, não tinha mais o que dizer pra ela, já estava cansada daquela situação, não foram dias, foram anos... mas Deus naquele momento queria salvá-la e lhe deu mais uma vez a direção.

Agora não sei que rumo seus pés tem tomado, mas de uma coisa eu sei e ela também, que não é impossível mudar, e que quando ela de fato decidir pela porta estreita, e pelo reto caminho, seus pés encontrarão a salvação, enquanto houver tempo, claro.
“Aparta-te do mal, e faz o bem; procura a paz e segue-a.” (Sl 34:14).

Intercedendo, Roberta.

Quer saber a continuação??? CLIQUE AQUI - Gômer