quarta-feira, 7 de julho de 2010

Noivado - parte1


Meu noivado foi liberado e abençoado na minha igreja. Agora minha responsabilidade tinha aumentado em todos os sentidos, familiar, no trabalho, na igreja e em todas as partes, eu era a noiva do auxiliar e por isso, não podia dar mau testemunho. Eu comecei a ter reuniões de noivas na João Dias, lembro que a cada reunião que participava, Deus me mostra se realmente era aquilo que eu queria. Era tudo muito lindo, tudo muito perfeito(aos meus olhos)… mas eu já estava noiva, a cada vez eu estava mais próxima de ir para a obra.

Eu tinha certeza que eu estava nesse relacionamento pra casar, não tinha dúvidas sobre isso. Mas eu tinha uma preocupação, meia que... uma dúvida sobre em servir a Deus no altar.

A minha vida já era em servir a Deus, era o desejo da minha vida de estar no altar. Mas minha preocupação era que já naquela época, eu via ao meu redor maus testemunhos. Pessoas que um dia estava no altar, e que de repente deixavam tudo e voltavam, ficavam até de membros, mas diziam coisas horríveis da obra. Isso me preocupava, não porque eu achava que a obra poderia ser outra coisa (do tipo eu ter que lutar tanto e, depois não era aquilo que eu pensava), nãoo…. A minha preocupação era de voltar como muitos, que voltavam caídos, sem brilho, sem o amor pelas almas, dizendo que foram injustiçados.

Mas ao mesmo tempo eu conhecia pessoas de Deus, que eu via Deus usando, mesmo em lutas, tinham o amor por almas. E foi quando Deus falou comigo: Graciele, eu estou te mostrando a realidade do que acontece, pra você não fazer igual e sim diferente. Confie em Mim, siga sendo você mesma, não mude o seu olhar com santidade, pois a obra é santa.

Eu pensei muito sobre o que Deus havia me falado. Porque a qualquer momento eu poderia ser chamada( meu casamento poderia ser liberado), se eu entrasse assim, como Deus poderia me usar? Como eu poderia auxiliar o meu esposo?

Eu poderia nessa primeira parte do meu noivado, continuar sobre a minha vida sentimental. Mas eu precisava escrever sobre isso, porque fez parte da minha vida e, também sei que no meio de vocês que querem servir a Deus no altar, as vezes vê coisas, que te deixam preocupadas, e ao ponto de olhar que a obra é do homem.

Preste atenção... se você está noiva, namorando, orando ou gostando de um auxiliar ou quer servir no altar e, você as vezes vê coisas que você não entende. Posso te dizer a verdade??? Você não precisa querer entender!!!

Se a intenção do seu coração é de servir a Deus no altar, e você ver coisas assim (que não entende o porque?), Deus está mostrado pra você amiga, porque Ele não quer que você seja igual…. Mantenha o seus olhos puros! A obra não é do Homem é de Deus. Se você quiser entender (o que é isso? Ou aquilo?) você perderá o amor pelas almas (os maus olhos irá te levar a malicia) e colocará em risco sua salvação (estamos nos finais dos tempos).

A obra é de Deus, e ela precisa de pessoas que estejam dispostas em servir a Ele, não importa a sua posição, o que você tem ou deixe de ter, não importa o país que você está.

Você pode ver e escutar coisas ruins…. Mas se você tem a intenção de servir a Deus, você não dará ouvidos, você seguirá com o mesmo amor pelas almas e até mais. Eu ainda até hoje vejo e escuto coisas horríveis… mas isso e nada irá me parar de servir a Deus no altar… e sabe porque??? Porque vejo e sempre quero ver a obra como Santa.

Eu já tive a oportunidade de passar em lugares que em que uma reunião de quarta-feira, meu esposo chegou a fazer reunião só pra mim, porque não tinha pessoas, como também já passamos em igrejas de 1000 pessoas, e você sabe qual é a diferença? Nenhuma amiga, o amor é igual, ter que ir pra igreja de ônibus, a pé ou de carro… pra mim é igual. Ter hoje isso ou aquilo e amanhã não ter, é igual pra mim.

A diferença é que sou privilegiada de servir o Meu Deus, Que me salvou, que me sustenta, que me usa... não importa a situação, o lugar e nada… A obra é realmente Santa e só quem sabe disso, são aqueles que tem a sua intenção de ganhar almas e não tem mais a intenção nos prazeres desse mundo.

Continua...