quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Destrua a velha fortaleza mental

Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma.” (3 João 1:2)
 
“Reflita nessa passagem cuidadosamente. Deus deseja nos abençoar até mesmo mais do que nós desejamos ser abençoados. Mas Ele também nos ama o suficiente para não nos abençoar além da nossa capacidade de admi­nistrar as bênçãos apropriadamente e continuar dando-Lhe glória.
 
O ciúme, a inveja e a comparação de si próprio com os outros é infantil. Isso pertence inteiramente à carne e não tem nada a ver com coisas espirituais. Mas é uma das principais causas para uma vida de deserto.
 
Preste atenção nos seus pensamentos nessa área. Quando reconhecer padrões errados de pensamentos começando a fluir em sua mente, converse consigo mesmo um pouco. Diga a você mesmo: "Que bem me fará ter ciúme dos outros? Isso não me tornará abençoado. Deus tem um plano individual para cada um de nós e vou confiar nEle para fazer o melhor para mim. Não é da minha conta o que Ele escolhe fazer por outras pessoas". En­tão, determinada e deliberadamente, ore para que eles sejam mais abençoados.
 
Não tenha medo de ser honesto com Deus sobre seus senti­mentos. De qualquer maneira, Ele sabe como você se sente, então você pode também falar com Ele sobre isso.
 
Recentemente, ouvi alguém dizer que, apesar de fazermos al­guma coisa muito bem, sempre surgirá alguém que pode fazê-lo melhor. Essa afirmação teve um impacto em mim, porque sei que é verdade. E se isso é verdade, então qual o propósito de lutar toda a nossa vida para passar na frente de outra pessoa? Assim que nos tornarmos o número 1, alguém estará competindo conosco e, mais cedo ou mais tarde, aparecerá aquela pessoa que pode fazer o que quer que estejamos fazendo um pouco melhor do que nós.
 
Pense em esportes; parece que não importa o recorde atingido por um atleta; outro atleta surge e o quebra. E quanto à área do entretenimento? O astro do momento fica no topo apenas por certo período, e, então, vem alguém novo e toma o lugar dele. Que terrível decepção é pensar que devemos sempre lutar para estar à frente de outra pessoa — e, então, lutar para permanecer lá.
 
Deus me disse há muito tempo que me lembrasse de que "me­teoros" sobem rapidamente e conseguem muita atenção, mas geral­mente eles permanecem por apenas um pequeno período. Na maio­ria das vezes, eles caem tão rapidamente quanto sobem. Ele me disse que é melhor estar presente para o embate — à vista — e fazendo o que ele me pediu para fazer com o máximo da minha habilidade. Ele me assegurou de que tomará conta da minha reputação. Da minha parte, decidi que o que Ele quer que eu faça e seja está bem para mim. Por quê? Porque Ele sabe o que posso fazer melhor do que eu.
 
Talvez você tenha mantido uma fortaleza mental por longo tempo nessa área. Cada vez que você encontra alguém que parece estar um pouco à sua frente você sente ciúme, inveja ou desejo de entrar em competição com ela. Se assim é, exorto-o a ter nova men­talidade.
 
Ajuste sua mente para ser feliz pelos outros e confiar em Deus a seu respeito. Levará algum tempo e persistência, mas, quando aquela velha fortaleza mental for destruída e substituída pela Palavra de Deus, você estará a caminho da saída do deserto e da entrada da Terra Prometida. (MEYER, Joyce. Campo de Batalha da Mente)”

Enviado por: Juliana Soave - Guarulhos, SP