sexta-feira, 25 de junho de 2010

Namoro - Parte 1


Meu namoro começou... eu estava tão feliz e ao mesmo tempo com um friozinho na barriga rsrs. Era o meu primeiro namorado, já tinha me envolvido no mundo em relacionamentos, mas era o meu primeiro namoro sério.

Eu tive que deixar de ir as terças-feira para reunião dos 70, porque o núcleo que eu fazia abriu mais um dia (terça), já não podia vê-lo mais na reunião, então eu escrevia cartas com palavras de fé e, o auxiliar da minha igreja levava pra ele. Nós se víamos nas quintas-feira por algumas horas. Ele me deu o seu primeiro presente pra mim... uma aliança de prata(não tirava ela pra nada). No primeiro mês, nós conversávamos muito sobre a obra de Deus, tínhamos muitas coisas em comum, os mesmos objetivos, cada vez mais eu estava gostando dele. Eu tinha certeza que era ele… o meu futuro esposo.

Ele foi tendo mais confiança em mim. Eu gostava de deixar-lo falar, e sempre estava ali para escutá-lo. Mas aí que começou a minha luta… ele me disse que tinha algo pra mi falar, sobre ele. Eu disse ok, pode falar... ele me disse - Antes de orar com você, eu estava namorando uma obreira, mas tive uma decepção com ela (Ok! até aí tudo bem eu pensei). E ele seguiu contando – Nós éramos obreiros juntos, quando começamos a se gostar um do outro, mas quando fui chamando pra fazer a obra, ela ficou triste, porque eu ia embora, pois apenas tinha liberado o nosso namoro, mas seguimos na fé. Passou um tempo ela começo a ficar fria comigo, eu ligava pra ela e, ela não me atendia, na hora que eu mais precisei dela, ela não esteve comigo, eu passei uma luta com esse relacionamento, eu gostava muuito dela, mais tive que escolher ela ou a obra… e foi que escolhi - a obra, nem demorou muito ela já estava conversando com outro… Eu te contei isso porque eu gostaria que você soubesse, mas eu gosto agora é de você, ele me disse.

Na hora eu escutei, eu fiquei normal(mas dentro de mim.. nem precisa dizer né), mas compreendi e admirei que ele confiou em mi de ter contado sua situação. Mas algo começou acontecer... e eu não gostei nadinha. Ele começou a falar dela sempre pra mim (imagina). Tipo o que ela fazia, como ela era e etc… só que ele não se dava conta e nem eu tinha coragem de falar que estava demais!! eu ainda nem conseguia chamar pelo nome dele, eu chamava de pastor, eu tinha temor de falar algo do tipo- Helloo você não acha que está falando dela demais? Bem que queria, mais naqueles momento não sabia o que fazer.

E o pior era que eu estava me envolvendo a cada dia e gostando mais dele, só que isso me incomodava. Eu comecei a perceber que ele ainda gostava dela(eu fiquei sem chão, eu não queria acreditar), e sabia que eu tinha que fazer alguma coisa (aquilo estava mexendo comigo e isso não era bom). Foi quando ele marcou um dia pra conhecer sua mãe, no caminho ele me preparou sobre sua mãe. Ela é muito sincera, se ela tem que falar, fala na sua cara. Quando cheguei e ele me apresentou pra sua mãe, eu já de cara percebi que ela não gostou nadinha de mim. Lembro que não ficamos muito tempo lá, e a oportunidade que ele foi ao banheiro, ela chegou pra mim e falou que o filho dela era muito lindo, e que a “outra” que ele tinha era muito bonita também (eu fiquei calada e em estado de choque), quando ele voltou, ela seguiu sendo normal como se nada tivesse acontecido.

Eu voltei arrasada pra casa, eu queria que aquele dia acabasse logo, eu me senti tão horrível, é claro que diante do meu namorado estava bem (mas só Deus sabia o que eu estava sentindo). Eu cheguei em casa, entrei no banheiro pra falar com Deus, e eu só chorava. Naquele momento passou de tudo que era ruim na minha cabeça (pensamentos como sou gorda, feia, insegura e etc), foi quando Deus falou comigo assim, lembra Graciele que você me disse que queria fazer um homem de Deus e não ter-lo pronto? Pois aí está o seu desafio.

Sabe o que eu fiz??? Aí que chorei maaais!!!(eu sou humana também.. meninas). Eu lembro que fiquei balançada por alguns dias. Mas aquelas palavras ficou na minha mente, e eu fui orando e pedindo pra Deus, se eu tinha chegado até o namoro, eu precisava ser forte e enfrentar essa situação. Eu não provoquei esse namoro, eu tinha certeza que tinha vindo de Deus. Com tantos maus pensamentos que vinha na minha cabeça, o meu namorado ainda falando da outra e, a imagem da sua mãe dizendo aquilo pra mim na minha cabeça toda hora!!! Mas mesmo com tudo isso e balançada espirituamente, eu não cai no joguinho do diabo. Eu precisei mais uma vez confiar em Deus, mesmo tendo que passar por essa coisas.

Dificil não é LUTAR por aquilo que se quer, e sim DESISTIR daquilo que se quer.

Eu escolhi lutar e não desistir, mesmo sabendo que uma parte de mim estava abalada… mas a outra parte estava dizendo você pode :-)

Continua na Segunda....