sexta-feira, 11 de junho de 2010

Criticas cuidado... elas só atrasam a nossa Vida


No dicionário, criticar é julgar produções ou manifestações de caráter intelectual, e julgar é decidir como juiz, sentenciar, formar opinião ou juízo crítico, avaliar. Então, quando julgamos alguém, colocamos nossos valores, crenças; esquecemos totalmente da empatia, um dos fundamentos básicos, para quem quer trabalhar a sua reforma íntima e fazer para si, uma nova proposta de vida. Porém, é muito difícil receber tudo isso de pessoas que sequer conhecem nosso caráter, nosso íntimo. E será que nós não fazemos o mesmo com as outras pessoas???? Ao falarmos mal de alguém ou de alguma coisa, aí, estamos censurando ou desmerecendo esse alguém, naquilo que ele é. Nosso dia a dia é muito atribulado, e às vezes, nem paramos para pensar e já vamos criticando e julgando por coisas sem muita importância, só que não queremos ser criticados e nem julgados, então só olhamos para os defeitos dos outros, o que é muito simples e cômodo.

Aquela crítica feita pelas costas, sem que o criticado tenha oportunidade de defesa ou até mesmo de desmentir o mal entendido. É uma crítica “fofoca” que passa por duplo julgamento, principalmente, quando o ouvinte ou seja o mau ouvinte se encontra disponível para ajudar no massacre ou inverdades sobre o criticado. Acreditamos que se nos fixássemos primeiramente no sentimento que a levou a agir daquela forma, talvez pudéssemos entender melhor, aquela atitude sem ser necessário, partir para a crítica e o conseqüente julgamento.

Quando você julga você deixa de crescer. Julgamento significa um estado mental estagnado. E a mente deseja julgar, por estar em um processo que é sempre arriscado e desconfortável. Na verdade, a jornada nunca chega ao fim. Um caminho termina e outro começa: uma porta se fecha, outra se abre. Você atinge um pico, sempre existirá um pico mais alto. Aqueles que não julgam estão satisfeitos simplesmente em viver o momento presente e de nele crescer... somente eles são capazes de caminhar com Deus.

Quando estiveres a ponto de condenar alguém, lembra-te de ti mesmo. Procure se perguntar se você não faria o mesmo,se estivesse no lugar dessa outra pessoa. Nós já temos tantas batalhas na vida... Racismo, preconceitos, fome, maldades, abandonos... Quem somos nós pra acharmos que somos diferentes... O que nos diferencia das outras pessoas, é o nosso caráter e nossa índole.

Ao invés de julgar, ajude. O invés de criticar, dê um caminho.