segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Somos um em Cristo


 A primeira vez que coloquei o uniforme de obreira,  foi em uma sexta feira, á tarde, estava bem nervosa, meia sem jeito, um pouco perdida. Você que já passou por isso deve saber muito bem como é, a sensação é que todos estão te olhando. E foi neste dia que vi o meu esposo pela primeira vez, quando o vi, olhei para ele e pensei: será que ele vai ser meu esposo??? 

Gente, não foi pensamento de malicia, não estava procurando namorado, e não tinha desejo de ser esposa de pastor, foi automático, olhei-o e simplesmente pensei, ele estava bem sério, também logo o pensamento passou.

Logo em seguida ele foi transferido para outra igreja, o via apenas as terças feiras; na corrente dos 70, mas também não havia ainda sido despertado nenhum sentimento em mim. Só o observava, pois achava ele bem sério, e isso pra mim era um ponto positivo no comportamento de um homem. Depois de um tempo ele sumiu, tinha sido transferido para outra cidade. Certo dia, estava em casa, e ouvindo o programa do nosso Bispo regional, o ouvi anunciando que este pastor fora transferido para nossa sede. Gente, não pense mal de mim, quando ouvi o Bp. pensei: já pensou, eu casada com este pastor??? rsrsrs, você deve estar rindo, mas foi exatamente assim que aconteceu. Depois de um tempo comecei a observá-lo; seu comportamento, a sua reunião, a sua oração. E começou a nascer um sentimento da minha parte, ele não gostava de mim. 

Um certo dia ele me chamou, disse para esquecê-lo, que não gostava de mim, disse-me palavras bem duras, mandou eu me converter, rsrsr, sério. Nem acreditei que estava ouvindo aquilo, isso foi no sábado. No domingo durante a reunião matinal, dobrei os meus joelhos e disse pra Deus que não aceitava sofrer, que eu sofria quando servia ao diabo, que Deus o fizesse gostar de mim em uma semana ou tirasse aquele sentimento também em uma semana. Disse mesmo pra Deus, não aceito sofrer, e se fosse da vontade Dele, e para Sua glória que Ele abençoasse, pois se uma união é para a glória de Deus, com certeza vai nos fazer felizes, foi uma oração rápida, também não cobrei mas nada a Deus, deixei-o agir.
        
Pode acreditar, no dia dos namorados ele mandou-me flores, era a confirmação de Deus, ele estava gostando de mim, dei pulos de alegria, determinei e nem estava creditando. Começamos então a orar, depois de alguns meses  começamos a namorar, depois de cinco meses  nos casamos, e em 2012 completaremos 12 de casados. Deus nos preparou um para o outro, somos um em Cristo.

Aonde quer que fores, irei eu,
e onde quer que pousares, ali pousarei eu,
o teu povo será o meu povo, o teu Deus será o meu Deus.

Rose - Angola