segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Tempo Perdido


Devido a pressão e até mesmo a cultura, não são poucas as meninas que se iludem em relação ao casamento, em relação ao parceiro com quem elas pretendem passar o resto de suas vidas…. Mais fazer escolhas erradas não é um “acidente de percurso” atribuídos só as mulheres, os rapazes também muitas vezes fazem uma má escolha.

Mais tudo poderia ser diferente se os rapazes usassem a inteligência na hora de escolher alguém para namorar... Principalmente se ele for um pastor !!!!!

Nesse caso a escolha deve ser feita com muito cuidado, para não se deixar enganar por atributos exteriores. A primeira coisa que o rapaz deve observar é se a jovem escolhida ama as almas, e ama a Deus mais do que a ele. Infelizmente não é isso que eles levam em conta, mais deveriam…… disso depende seu ministério.

Para fazer a obra de Deus no altar, a moça tem que ser muita mais do que obreira, ela tem que ser serva acima de tudo. Digo serva de Deus e não de si mesma, não de projetos pessoais ou dos seus caprichos. Alguém me perguntou qual era a diferença entre fazer a obra de Deus e fazer as coisas para Deus? Na verdade essa é uma condição, o que vai determinar para quem eu faço é justamente a minha condição de servo.

Uma pessoa pode estar fazendo a obra de Deus, mais isso não significa que ela esteja fazendo a vontade de Deus… “Estar” é uma condição,não uma confirmação. Nós temos aqui muitas obreiras que namoram pastores e em algumas eu percebo que namorar o pastor, significa apenas casamento e nada mais…

Para elas não importa o ministério do futuro esposo, nem tão pouco as almas, o que elas querem é só casar e sair da casa dos pais, outras namoram simplesmente para não ficarem sozinhas…. Você pode esta até me achando injusta e pensando .. Qual o critério que eu estou usando para chegar a essa conclusão ?

Na verdade não é difícil chegar a essa conclusão, basta observar o fator “Entrega” se a jovem não renunciou 100% as suas vontades então não ha obediência nem a Deus, nem as autoridades por Ele constituídas. Durante esse processo de conhecimento as jovens recebem tarefas para que possamos conhece-las. Mesmo assim ainda encontramos dificuldade com algumas, tudo porque elas não querem sacrificar o seu tempo e a sua vontade.

Quando eu me casei, me casei também com a causa do meu marido que é de ganhar almas, mais eu já era casada com Jesus bem ante de conhece-lo. Quando nós começamos a namorar, ele provou o meu caráter de varias maneiras, ele queria ter certeza de que estava fazendo a escolha certa. Ele sempre passou para mim o quanto era difícil fazer a obra, que passaríamos por isso e por aquilo….

Observava o meu comportamento em casa, com os meus pais. Na altura minha mãe não ia a igreja, mais eu devia respeito a ela e ao meu pai. Tem um ditado popular que diz: “boa filha, boa esposa”. Quando eu era namorada não havia um trabalho próximo da gente, que pudesse nos ajudar mais diretamente na nossa formação, só havia reuniões semanais em que líamos a Bíblia e fazíamos orações. Se tivesse com certeza não teríamos atrapalhado a nós mesmas com as nossas fraquezas..
Tive que mostrar para Deus que eu queria realmente estar no altar , eu paguei o preço por essa escolha. “O Altar é Um Lugar de Sacrifício.” Enfim passei par varias provas até que finalmente casamos….
Infelizmente hoje são raríssimos os pastores que fazem isso, que observam as obreiras com quem querem um compromisso, eles acham que só por ser obreira, ser boazinha, trabalhar nas escalas é o suficiente, mais não é bem assim…..

Muitas que estão nessa condição de namoradas e noivas, não querem pagar esse preço. Para elas casar com um pastor é ter liberdade, é viver a própria vida, é fazer sua vontade. Elas só estão preocupadas em casar-se, mesmo que isso custe o ministério do pastor….

Bem se custar o ministério de um homem de Deus, ela pode ter tudo menos a felicidade.

D.Carla Leite - Moçambique, Àfrica