sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Minha História continua-4


Participei de várias reuniões que falavam sobre o encontro com Deus. Mas eu pensava que eu era nascida de Deus, eu não pecava mais, eu estava servindo a Deus, jejuava, orava, não vivia mais uma vida errada, eu não tinha mais a vontade das coisas do mundo. Mas dentro de mim, lá no fundo eu tinha dúvidas. Dúvidas que eu tentava enganar eu mesma, com pensamentos(não isso não é verdade, eu já entreguei minha vida pra Deus). E assim eu seguia me enganando.

O tempo foi passando, e eu me acostumei conviver com essa dúvida, na verdade, eu ignorava (aparentemente não me atrapalhava), pois eu tinha a minha rotina de ir para a igreja, fazer as coisas de casa, cuidar do meu esposo, fazia a obra de Deus, tudo ia normal. Mas várias vezes eu pensavam, que eu não estava fazendo a diferença como poderia fazer, eu via que faltava algo na minha vida, Deus não queria que eu fosse mais uma no meio de muuitas… Ele queria me usar, muito mais além, mas para isso acontecer, eu precisava ser nascida de Deus.

O meu desejo particular deis de obreira, era de servir a Deus fora do Brasil. Eu sempre me imaginava com o meu esposo na Angola. Eu lembro que pesquisava tudo sobre este país, um povo que sofria muito… eu ainda tinha fé que eu um dia ia pra lá, agora, o ultimo país que eu pensava de nunca ir era o Estados Unidos, pois pelo que eu via naquela época, era um país de pessoas orgulhosas, duras, e lá... era um numero grande de pessoas cristãs (como eu era bobinha, como se eu tivesse mérito de escolher alguma coisa).

Eu estava em São Bernardo do Campo uns 6 meses, em Rudge Ramos. O trabalho lá estava sendo uma benção, eu pensava que eu ia ficar muito tempo lá. Nós fizemos um evento com toda a região para ajudar as escolinhas… foi um mês que trabalhei muito e não via a hora de realizar. Eu sempre estava falando com as esposas que depois do evento, que seria no domingo, já na segunda-feira eu ia descansar, pois eu estava muito cansada, todas nós esposas, obreiras, tias tínhamos trabalhado muito e foi uma benção.

Foi quando finalmente chegou a Segunda-Feira, havia uma esposa morando comigo, antes dela sair, falei com ela que hoje eu ia tirar para descansar em casa. Foi quando umas 9 da manhã, meu esposo ligou dizendo: Se arruma o bispo Clodomir quer falar com a Gente, nós estaremos indo para o EUA.

Geeente!!! Eu fiquei em estado de choque… ou melhor, sem ação. Meu Deus!!! EUA???

Eu me arrumei e fomos para João Dias. Chegando lá, fui subindo as escadas com o meu esposo, e alguns pastores e esposas descendo e, comentando que não iam. Eu fui subindo e pensando: Já que não é todos que irão... então, eu creio que aí pode ser que Deus me mande pra outro país. Mas assim que entramos e vimos o bispo, ele logo de cara falou vocês vão hoje para EUA. Confesso que pra mim foi lá no fundo uma decepção, mas eu voltei para arrumar as malas e falei com Deus assim: Se eu estou indo pra lá é porque o senhor sabe o que faz, sabe a necessidade das pessoas, eu vou, e também vou por o meu coração, pois eu entrei na obra foi para te servir meu Deus... não importa a onde.

E eu nem sabia que Deus estava me enviando pra lá… porque Ele queria primeiro me salvar e Segundo me usar para salvar almas.

Continua...