terça-feira, 19 de março de 2013

Maturidade


“Para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro... Mas seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo”
(Ef 4.14-15)

Meditando nesse versículo hoje, parei tudo o que estava fazendo e fiquei pensando sobre tudo o que está acontecendo comigo. Tem hora que queremos atuar com as nossas próprias forças em coisas tão pequenas que até nos tira do sério, mas que não vale apena, no meu caso, eu respiro fundo (passa em minha mente muitas vontades de agir, reclamar e etc) daí eu penso e peço misericórdia pra Deus e sigo em frente... ao fazer isso, começo a ver lá na frente se eu tivesse tomado uma atitude naquele exato momento, tudo daria errado.

Com o passar do tempo, eu tenho aprendido esperar o momento certo para resolver cada situação, e resolver primeiro com Deus. A resposta é certa! E como entendo a hora certa? Quando abro mão do que eu sinto no momento, e entrego todo esses sentimentos nas mãos de Deus. Nós seres humanos somos muito ansiosos, queremos resolver as coisas pra ontem! Se tudo fosse tão rápido e fácil de se resolver não ganharíamos maturidade.

O tempo faz adquirir maturidade, e para adquirir precisamos entregar todas as nossas ansiedades nas mãos de Deus, e não é fácil porque é a nossa natureza humana, por isso é doloroso ter que entregar mas não é impossível quando queremos agradar a Deus... pra mim a maturidade é como um óculos de grau pra enxergar longe, faz enxergar o futuro, enxergar lá na frente aquela situação que vemos agora que muitas vezes dá vontade de puxar os cabelos, mas quando vamos no decorre do nosso caminho adquirindo maturidade, temos a capacidade de lhe dar com os nossos problemas e com os dos outros.

Quem gosta de comer frutas imaturas, ainda “verdes” na árvore? Como é bom comer uma fruta madura, no devido tempo, não é mesmo? Da mesma forma, Deus também possui um plano de crescimento e amadurecimento espiritual para aqueles que decidem (entrega suas ansiedades) para fazer a vontade de Deus.

Deus tem um objetivo muito bem definido ao guiar-nos no processo de amadurecimento, Ele quer nos fazer participantes da sua obra “sermos frutíferos”.

Mas para isso acontecer, precisamos de maturidade para sermos um barro nas mão do Oleiro. Deixar de ser meninos na fé, não aceitar a repreensão só da boca pra fora, mas reconhecer que precisamos mudar, se colocar no lugar das pessoas, deixar de pensar em si mesmo e ser na prática MISERICORDIOSO.

Pense nisso: "Como é que se vê que o fruto está maduro? Quando ele cai do ramo."