sábado, 20 de março de 2010

O inicio de obreira


Fui levantada de uma maneira inexplicável. Para mim era tudo novo, ser chamada de obreira, senhora, orar nas cabeças das pessoas, lutar com os demônios nas reuniões, trabalhar nas reuniões, servi santa ceia e outras coisas.

Eu só tinha 15 anos, ainda mesmo sendo de Deus, tinha atitudes ainda de criança. Fazer a obra de Deus como obreira, era um sonho realizado, mais eu tinha que continuar mudando. Lembro que quando trabalhava de obreira, eu era séria, atendia as pessoas orava por elas, fazia tudo com maturidade. Mais quando acabava a reunião, eu mudava... ficava com brincadeiras, com os outros jovens, eu saia do meu normal, e voltava ser criança.

O tempo foi passando e eu não percebia isso… mas as obreiras mais maduras percebiam, e uma delas chegou até a mim para me ajudar. Eu sou sincera em dizer na hora eu não gostei nadinha do puxão de orelha, eu nem tinha intimidade com ela. Mais uma coisa me fez compreender, depois daquela conversa, a minha ficha caiu, Deus tinha dado condições para mim, para servi a Ele, e eu tinha que agir como tal e não jogar fora dessa maneira a unção que Ele tinha me dado.

Eu pensei muito sobre isso… como as pessoas poderiam pedir oração, atendimento, para uma obreira que depois da reunião ficava com brincadeirinhas sem graça no salão? Que se comportava como uma criança? É claro que Deus não poderia contar comigo dessa maneira.

Foi quando eu decidir mudar minha rotina, na igreja que eu era obreira em Cubatão, naquele tempo, as obreiras mais maduras e respeitadas, trabalhavam mais nas reuniões pela manhã. Para mim era um sacrifício trabalhar pela manhã, porque eu entrava as 9 am no trabalho. Mais o Pastor permitiu eu trabalhar na reunião das 8 mesmo assim, e saia 8:50 hs. Eu chegava uma hora antes para preparas as coisas das reuniões, e também para ficar conversando com as obreiras mais maduras.

Saiba que foi muito importante eu ter feito isso, eu aprendi tantas coisas, a cada reunião que trabalhava pela manhã, eu saia com um aprendizado. Eu aprendi, com elas tantas coisas como: atender as pessoas de uma forma melhor, como me comportar, como falar, ser gentil, uma das coisas que amei aprender com elas foi como preparar a Santa Ceia, Huahua… eu nunca vou esquecer o temor de preparar, muito forte, até fazer café rsrs eu aprendi. E finalmente, eu aprendi ser moderada como obreira, seguindo exemplos de pessoas maduras e de Deus, eu comecei adimira-las, não me importava que as outras falavam, que eu só ficava na rodinha de obreiras mais velhas. Eu acho que seu tivesse, ouvido o conselho e ficado emburrada como uma criança não estaria aqui escrevendo, e nem ganhando almas. Eu agradeço muuito pelos exemplos que segui das obreiras maravilhosas de Cubatão que são: d.Ana, d.Martinha, d.Sebastiana, d.Tete, d.Martha, d.Marli, d.Lucilene, d.Edna, d.Marilande e todas que tiveram paciência comigo.

Não desprezem os bons exemplos que você tem ao seu redor.. ao invés de ficar com pessoas que não tem nada de bom para passar, comece a buscar pessoas maduras e de Deus que as vezes estão ao nosso lado, e não conhecemos :0).